Written by: "Flávia Lima"

Por que usar uma tipologia?

carl1

A eficácia das relações interpessoais é tema de inúmeras iniciativas de desenvolvimento dentro das organizações, desde programas relacionados à construção de times até os que se debruçam sobre a eficácia da liderança.

A compreensão interpessoal, ou seja, o entendimento mútuo, em geral passa por três estágios: O autoconhecimento; a identificação de diferenças e semelhanças com os estilos dos outros; e, em seguida, o  estabelecimento de estratégias interpessoais eficientes que tornem as relações mais empáticas e produtivas.

Compreender a si mesmo e aos outros não é tarefa fácil. É tarefa de vida. Auxiliar as pessoas nesse aspecto, dentro das organizações, se torna ainda mais desafiador, pois muitas vezes o foco está nas questões práticas e produtivas do dia a dia e pensar sobre o outro e sobre as relações acaba ficando em segundo (ou último) plano, ainda que se saiba que é por meio das pessoas que os resultados são alcançados.

Um trabalho com esse fim, para ser sério e consistente, deve abordar temas profundos, levar os participantes a refletirem sobre si mesmos e sobre os outros, podendo entrar num nível psicológico tão profundo que não se daria conta de tratar tudo o que se deveria no tempo que em geral se tem para conduzir tais programas.

Cada um é único e singular e a compreensão das diferenças e semelhanças pode acabar sendo muito complexa de se obter dentro da dinâmica organizacional. O uso de uma tipologia nesse contexto se faz muito útil.

A tipologia é uma forma de estudo da personalidade que se propõe a compreender não a singularidade de cada um, mas de maneira mais ampla, o estilo mais comumente usado por uma pessoa na forma como lida com seu entorno.

A premissa por trás de uma tipologia é a de que, por mais que sejamos únicos, existem padrões de comportamento que fazem com que seja possível que nós sejamos compreendidos em alguns grupos de preferências.

carl2Portanto, uma tipologia não tem a pretensão de explicar a personalidade em sua totalidade, mas pode ser usada dentro das organizações para explicar muito sobre a forma de agir, interagir, julgar e decidir de cada um, trazendo a consciência de que pessoas diferentes têm formas diferentes de se comportar, simplesmente porque pertencem a diferentes tipos.

Carl G. Jung desenvolveu uma tipologia no início do século XX, que está descrita no seu livro Tipos Psicológicos, de 1921. Um trabalho reconhecido, consistente, profundo e ao mesmo tempo de compreensão acessível, que tem sido usado com sucesso no âmbito organizacional.

O Insights Discovery usa a tipologia Junguiana, transformando-a numa linguagem lúdica, combinando, dessa forma, o profundo e o simples. Ajuda pessoas, equipes e organizações a compreenderem a dinâmica das relações interpessoais, a composição de times, os tipos de cultura organizacional e, consequentemente, propiciando maior eficácia pessoal e interpessoal, com impacto tanto na produtividade, quanto na felicidade das pessoas em seus trabalhos.

A eficácia das relações interpessoais é tema de inúmeras iniciativas de desenvolvimento dentro das organizações, desde p...

Leia mais »